Novena a Nossa Senhora da Penha

Orações iniciais

Salve Senhora da Penha, Rainha dos céus e da terra! Mãe Imaculada do Redentor, fonte de misericórdia e refúgio dos pecadores, doçura e alívio de todos os nossos sofrimentos, que no monte sagrado da Penha vos dignastes revelar ao vosso servo Frei Pedro Palácios os prodígios de vosso coração de mãe, eis-me prostrado aos pés de vossa milagrosa imagem para expor-vos a minha aflição e reclamar o milagre da graça.

A vós suspiro com fervoroso alento, gemendo e chorando a vossos pés e implorando a vossa compaixão.

Enxugai benigna o pranto de quem vive desterrado neste vale de lágrimas.

Sede minha advogada junto a vosso Filho Jesus e a Ele me levai, depois deste desterro da vida, ó clemente, ó piedosa, ó doce Virgem da Penha, mãe, rainha e padroeira nossa. Amém.

Rezar três Ave-Marias e a consideração do dia correspondente.

Orações Finais

Concedei a vossos servos, nós vo-lo pedimos Senhor nosso Deus, que gozemos sempre da saúde da alma e do corpo, e pela intercessão da bem-aventurada sempre Virgem Maria sejamos libres da presente tristeza e alcancemos a eterna alegria. Por Cristo Nosso Senhor. Amém.

Súplica

Debaixo da vossa proteção nos refugiamos, ó Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita.

Senhora nossa, Medianeira nossa, Advogada nossa! Com vosso Filho reconciliai-nos; a vosso Filho recomendai-nos; a vosso Filho apresentai-nos. Amém.

V. Rogai por nós, Virgem da Penha.

R. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Oração

Ó Virgem Imaculada, Mãe de Deus e Mãe nossa, que vos dignastes abrir neste Santuário a fonte das vossas graças mais singulares, eis-me prostrado aos pés de vossa veneranda e milagrosa imagem. Suplico-vos, ó Nossa Senhora da Penha, com a mais filial confiança, livrai-nos, a mim e aos que me são caros, dos males que nos afligem, e concedei-nos os favores de que necessitamos.

Ó Mãe de misericórdia, pela Sagrada Paixão de Vosso Divino Filho, pelas dores e angústias de vosso coração materno, tende compaixão de mim, não me deixeis sair deste vosso Santuário sem que primeiro tenhais apresentado ao vosso caro Jesus as minhas ardentes súplicas.

Abençoai-me, ó minha Mãe; espero em vós e não esperarei em vão!

Pai-Nosso, Ave-Maria e Gloria ao Pai.

Primeiro Dia

Considera como Frei Pedro Palácios, da Ordem dos Frades Menores de São Francisco, achava-se cheio de amor de Deus. Embora irmão leigo, pede e obtém a ditosa sorte de ser mandado pelos seus superiores a missionar nestas parageNossa Senhora. Sai ele de Portugal com o seu coração exuberante de alegria e com um quadro de Nossa Senhora nas mãos, embarca em frágil nau e se aventura à incerteza do mar infiel para levar a luz da fé a terras desconhecidas e cheias de perigos. Mas pelo grande amor a Deus ele nada teme, a sua devoção para com a mãe dos homenso protege e guia até o venturoso porto de Vitória. Admira a caridade tão viva e uma confiança tão ilimitada deste bom servo de Deus e procura imitá-lo nas muitas virtudes que tanto o distinguiram.

E vós, Mãe terna, oceano de amor para com Deus e para com os homens, sede nosso amparo e fortaleza, e concedei-nos, por intercessão deste vosso Servo dedicado, que se acenda nos nossos corações uma centelha daquele fogo de caridade que abrasava o vosso servo Frei Palácios, e permiti que comecemos e prossigamos esta novena de tal modo que possamos obter um dos vossos olhares de misericórdia e ternura.

Segundo Dia

Considera como a Senhora da Penha, desejando ensinair-nos a grande virtude da humildade, não quis que seu amoroso servo Frei Pedro Palácios tivesse chegado ao termo de sua viagem encontrando aí as riquezas e as comodidades que fazem no mundo os felizes.

Chegando à pequena e humilde Vila do Espírito Santo, depois de fervorosa visita feita à Matriz da localidade, começou Frei Pedro Palácios a procurar um abrigo. Dirigiu-se para fora do povoado, num recanto da Vila, onde sua alma mais facilmente pudesse entreter-se com o Criador e aí deparou com uma gruta natural, formada por uma pedra, que, descaNossa Senhoraando sobre um terreno desigual, deixava no centro pequeno espaço. Ali penetrou o grande servo de Deus e tirando o painel da Virgem osculou-o afetuosamente, agradeceu o favor que lhe havia concedido proporcionando-lhe o encontro tão fácil de uma morada de acordo com os seus desejos.

Admiremos a grande humildade de Palácios e peçamos à Senhora da Penha que nos consiga sempre a prática dessa virtude, base de toda a nossa espiritualidade.

Gravai em nossos corações o desejo sincero de possuir os mesmos amorosos afetos que teve esse vosso servo para coma a virtude que mais amais e como Mãe quereis em todos os vossos filhos.

Terceiro Dia

Considera que se a beleza externa tem os seus atrativos, maiores ainda são os da beleza interna.

Digno imitador da Senhora, cuja beleza interior fora recantada pelo real profeta. Frei Pedro Palácios era uma dessas criaturas singulares, que, em um corpo velho e alquebrado, encerrava uma alma sempre nova e sempre bela. Para todos, o bom Irmão tinha uma palavra de conforto e de amabilidade. Apenas estabelecido em sua gruta, tratou logo de preparar ao lado dela um pequeno oratório a Nossa Senhora, sendo tal idéia aceita com imenso entusiasmo por todos.

Foi este o primeiro altar que teve a Senhora da Penha nestas parageNossa Senhora, graças à fácil correspondência que encontrou seu servo no coração de todos os habitantes.

Peçamos à mesma Senhora que não só enriqueça nossas almas da interior beleza das virtudes, como fez a seu abençoado filho, como também se digne usar dos nossos corações como outros tantos oratórios, em que sempre acesos se coNossa Senhoraervem o seu amor e a confiança em seu poderoso auxílio.

Quarto Dia

Considera que as variações e os sofrimentos enviados por Deus devem ser aceitos por nossas almas com a maior conformidade possível.

Nem aos mesmos justos isenta Deus desse sagrado dever.

Apesar da contínua proteção da Virgem, devia, pois, Frei Palácios pagar também este tributo. Eis o motivo por que um dia o bom religioso notou que o quadro da Virgem não se achava como sempre no seu nicho.

Terríveis apreeNossa Senhoraões assaltaram o seu espírito. Podemos imaginar as agruras por que passou aquele santo varão, imaginando perdido o seu único tesouro; no entanto, apesar de suas aflições e de suas dores, nem uma queixa amarga escapa de seus lábios.

Aprendamos deste digno filho da Senhora da Penha a conformar-nos também com a vontade de Deus, em todos os nossos sofrimentos. Em vez de ofendermos a Deus com palavras de desespero, abençoemos a mão que nos fere e procuremos sempre tirar espirituais vantageNossa Senhora de todas as provações.

Quinto Dia

Considera quanto esforço empregou Frei Palácios para encontrar o painel perdido.

Sem perder um instante, esquecendo seus anos e suas fraquezas, sobe e desce em todas as direções. Saltando de pedra em pedra, chega finalmente ao cume desta montanha, onde um grito de júbilo irrompe, espontâneo, de seu peito. Entre duas palmeiras que desafiavam a fúria dos ventos, encontra ele o seu querido painel.

Sempre que tivermos a infelicidade de perder, pelo pecado, a nossa boa Mãe, a Senhora da Penha, como o seu amoroso servo, não meçamos também as dificuldades.

Sejam quais forem os sacrifícios, façamo-los: contanto que recuperemos de novo sua valiosa proteção, verdadeiro tesouro para as nossas almas cristãs. Se grande foi a alegria de Frei Palácios, encontrando o seu painel perdido, não menor será a nossa, recuperando a graça divina e com ela o olhar amoroso de nossa boa Mãe.

Sexto Dia

Considera como Frei Palácios, percebemos por mais de um desaparecimento do painel, que era desejo da Senhora da Penha Ter uma ermida nestas alturas, sem medir dificuldades, tratou logo de levar a efeito este desejo que bem depressa foi coroado de magnífico êxito.

Aprendamos neste fato a coNossa Senhoraultar sempre o desejo de tão boa Mãe em todos os nossos empregos.

De preferência aos conselhos humanos, peçamos sempre em nossas orações a Nossa Senhora, que nos faça conhecer em tudo seu santíssimo desejo.

Sétimo Dia

Considera como, em certo dia, tendo começado Frei Palácios a fazer explorações preliminares para a coNossa Senhoratrução da projetada ermida, retirando algumas pedras soltas que se achavam debaixo das palmeiras, descobriu inopinadamente um manancial suficiente para as obras. Era a Senhora da Penha que recompensava a fé de seu carinhoso servo. Confiemos nós também, sempre em tudo, na proteção da mesma Senhora, que iguais serão nossas recompensas.

Oitavo Dia

Considera como, preparada a nova ermida, não se esqueceu Frei Palácios de enriquecer o seu altar com uma venerável imagem, cuja existência tem sido uma série de prodígios e de proteções.

Desse trono de misericórdia volve ele o maternal olhar para os seus devotos.

Agradeçamos este grande favor que nos foi dispensado pela misericórdia Divina e nunca nos esqueçamos em todas as nossas necessidades da proteção especial de Maria Santíssima.

Nono Dia

Considera como, havendo Frei Palácios cumprido sua nobre missão, mereceu a dita de morrer perto desta mesma imagem, tendo assim a certeza de que, em paga de sua fervorosa devoção, iria ao céu descaNossa Senhoraar ao lado daquela cuja efígie é venerada na terra.

Peçamos a Deus que nos conceda a graça de morrer também, senão aos pés da Imagem da Senhora da Penha, ao menos no seu agrado e sob sua especial proteção, para que tendo na terra contado seus prodígios, nos céus cantemos sua glória eterna.